[ editar artigo]

Produza conteúdo, não Spam!!!

Produza conteúdo, não Spam!!!

Socializar e interagir com outras pessoas é um processo muito antigo, dependemos da socialização para desenvolvermos amizades, relações amorosas, trabalhos e etc. Hoje, este processo está visivelmente atrelado ao mundo digital, por isso temos Redes Sociais criadas inicialmente para conectar pessoas e compartilhar informações. Durante toda a jornada do nosso dia estamos ligados a elas, formando nossa “rede” de amigos, trabalhos e colegas.

Conforme o tempo foi passando, se tornou visível para as empresas que estar presente nas redes é uma ótima oportunidade para alcançar mais clientes, porém, muitas delas tratam as redes sociais da mesma forma como tratariam qualquer outro tipo de divulgação, apresentando na cara do cliente o produto ou serviço oferecido, como se fosse um panfleto ou um grande outdoor. O problema é que cada tipo de mídia - seja a impressa, televisiva ou as sociais - tem um formato diferente de ser trabalhado, por isso não é viável tratá-las da mesma forma.

Como “Redes Socias” foram feitas para criar relações entre pessoas e não empresas, fica realmente mais difícil que elas trabalhem e conquistem seus objetivos de venda dentro da rede, tornando assim a empresa um intruso, afinal, ela não deveria estar naquele lugar por não ser uma pessoa. Uma analogia simples é pensarmos como se a empresa fosse um “e-mail”, isso mesmo, sabe quando você recebe um e-mail bom, que agrega alguma coisa boa na sua vida? É muito agradável, não é? Mas, e quando você recebe um e-mail de uma propaganda de supermercado ou de loja? É horrível, não é mesmo? Ele se torna praticamente um spam. Uma empresa pode ser os dois tipos de e-mail: o desejável ou o indesejável. Mas como evitar que a empresa pareça inconveniente?

Primeiramente, é necessária mais “humanização”. É preciso humanizar a marca dentro da rede, pessoas gostam de se comunicar entre pessoas, não entre máquinas. Podemos fazer isso trabalhando a comunicação entre a empresa e o consumidor. Um exemplo é trazer funcionários ou pessoas que representam muito bem a “voz” da empresa para dentro das redes sociais. Além de deixar de falar somente do seu produto e falar mais sobre o que ela sabe, uma ótima forma é trabalhar utilizando a lei de Pareto, onde 80% do conteúdo produzido será sobre o assunto que a empresa domina e 20% sobre o que ela faz ou produz.

Segundo a Psicologia Humana, nosso sistema cerebral toma 95% das decisões de forma emocional e somente 5% de forma racional. Sabendo disso, quando produzido conteúdo para as redes, devemos trabalhar cada um deles muito bem enquadrado dentro dos 3Hs (Help, Hub e Hero), ajudando assim as pessoas a atingirem de várias formas suas realizações pessoais ou profissionais, gerando soluções para as suas dores, economizando seu tempo, agregando conhecimento ou aumentando seu capital social e suas conexões.  

“[...] Uma mudança de mentalidade é necessária. Em vez de divulgar mensagens de proposição de valor, esses profissionais deveriam estar distribuindo conteúdo que seja útil e valioso para os consumidores.” (KOTLER; Philip,2017. Marketing 4.0: Do tradicional ao digital, p. 162).

Por fim, independente se somos pessoa física ou jurídica dentro da internet, temos como objetivo atingir as nossas metas estabelecidas, como aumentar as vendas por exemplo. Assim, é fundamental produzir conteúdo significativo para o público para se ter destaque neste contexto onde se disputa a atenção das pessoas de forma assídua.  

Ler conteúdo completo
Indicados para você