[ editar artigo]

FARM, o Ícaro da moda: personalidade para proporcionar a tão sonhada leveza

FARM, o Ícaro da moda: personalidade para proporcionar a tão sonhada leveza

Ter apenas redes sociais para divulgar os produtos e serviços da sua marca não é mais suficiente. O ambiente virtual transformou toda a sociedade e ressignificou o consumo. O filósofo francês Gilles Lipovetsky caracteriza, em sua obra “Da leveza - rumo a uma civilização sem peso” (2016), o consumo como uma forma de gerar leveza em nossas vidas, havendo a hipervalorização do prazer, do lazer e do entretenimento para cumprir esse objetivo. 

 

Mais do que comprar um produto, as pessoas estão  interessadas no impacto desse consumo em seu dia a dia e como as marcas se relacionam com suas personalidades e visões de mundo. Conectam-se, assim, por meio dos ideais transmitidos. No mundo da moda, isso é ainda mais visível: empresas como a FARM, originada em 1997 no Rio de Janeiro, compreenderam a mensagem. A teoria de Lipovetsky foi absorvida pela cultura organizacional da empresa: o luxo já não é mais a etiqueta principal. O consumo, na realidade, passou a se associar à identidade de cada um. 

 

Por isso, definir quem é o seu negócio tornou-se chave em todo esse processo. Não basta apenas comunicar, mas saber como e de que forma expressar os valores da sua marca. Sem determinar a brand persona, sua mensagem será dificilmente absorvida pelo público-alvo. Esse termo utilizado no universo do marketing nada mais é do que determinar o DNA da sua marca. Isso mesmo: como se fosse uma pessoa, com personalidade, sonhos e esperanças. 

 

E a FARM entendeu muito bem esse processo. A loja se adaptou às mudanças socioculturais e, por isso, criou uma identidade que corresponde aos principais anseios de grande parte do seu público-alvo, como a preocupação com o meio ambiente e a representatividade. Hoje, a marca disponibiliza tamanhos do PP ao GG, incluindo modelos plus size. Além disso, a concepção estratégica dos 3H - Help, Hub e Hero - foi muito bem incorporada pela empresa, que cria conteúdos para cada uma das etapas.

 

Com essa estratégia, a empresa ajuda o cliente a economizar tempo (quem busca moda sustentável consegue acessar uma aba específica sobre sustentabilidade no site), aprofunda sua experiência, fortalece a conexão e o senso de coletividade, aumentando o capital social e a ideia de controle. Para os clientes que já estão no nível Hero - quando recebem conteúdos exclusivos por serem cativos -, existe o clube FARM, uma iniciativa que visa ao reflorestamento e ao fortalecimento da relação entre cliente e marca: com R$ 10,00 mensais, o cliente contribui para que seja plantada uma árvore na Amazônia ou na Mata Atlântica. 

 

De quebra, o cliente recebe descontos e produtos exclusivos, mimos e novas coleções em primeira mão. A marca, por sua vez, reforça seu posicionamento perante todo o mercado, destacando-se competitivamente através de ações que permitem maior identificação com o público-alvo. As redes sociais da FARM refletem essa postura: são coloridas, utilizando linguagem informal e próxima aos consumidores, criando um verdadeiro exército P2P de engajamento e fãs. As pessoas desejam se relacionar umas com as outras e, quando a marca consegue definir sua personalidade e as simbologias da comunicação, fica mais fácil conquistar os propósitos estabelecidos. 

 

Buscamos leveza para nossa rotina, o que se tornou um ideal em nosso imaginário. Lipovetsky exemplifica essa metáfora com a figura de Ícaro, que construiu asas de cera para se elevar na atmosfera, guiado pela leveza de tal forma que se queimou pelos raios solares. 

 

Com as marcas, os indivíduos passaram a buscar esse mesmo tipo de sensação, procurando aliviar a existência quando consomem. A moda, por isso, acompanhou esse comportamento, construindo uma nova relação com os valores da sociedade. A FARM compreendeu essa mentalidade. E você?

Ler conteúdo completo
Indicados para você