[ editar artigo]

Check list: Projeto Social Media Exponencial

Check list: Projeto Social Media Exponencial

Para uma melhor assimilação do conteúdo do curso e saber direcionar os esforços assertivamente, resolvi fazer uma seleção de pontos importantes que aprendemos no curso Social Media Exponencial. Com o objetivo de criar um roteiro para mostrar cada etapa,  desde conhecer o cliente, como melhor comunicar-se com ele, em qual etapa da jornada encontra-se, qual são os conteúdos adequados e assim saber qual é a solução apropriada para cada um deles. Resolvi fazer este descritivo para usar antes de iniciar os projetos de mídia social, como um check list para ajudar na visualização de tudo que é essencial e incluir no planejamento para alcançar o resultado desejado.

1. Personalização da marca - Para começar, entender com profundidade como as pessoas se comportam e a reação delas com as marcas. Nas redes sociais a principal finalidade do público é se relacionar e se entreter. Eles querem conversar com pessoas, por isso a Marca tem que se portar como uma delas para ajudar na humanização e permitir essa conversa. O que ajuda nessa construção é:

  • Arquétipos - Modelos ideais que temos registrado na nossa memória e que colabora para personificar a marca.
  • Brand persona - Imagem da marca e seu DNA. A marca fala com os consumidores por meio de: simbologia, valores sociais e funcionalidade do produto.
  • NeedScope - Necessidade do consumidor de ser encantado, inspirado, impressionado, direcionado, tranquilizado e acolhido. Analisar como a marca faz seus consumidores se sentirem, ela consegue solucionar necessidades funcionais, de identidade ou emocionais?
  • Voice Deck – O deck de voz fornece exemplos de linguagem usadas em diferentes situações. Isso ajudará os redatores a rapidamente pegar o senso de como o brand persona deverá se comunicar nos diferentes canais. Para fortalecer a personalidade da marca seguir estes quatro pilares: Persona - Tom de voz – Linguagem – Propósito.
  • Propósito - Algo em que somos apaixonados e que inspira as pessoas e as ajuda a ser melhor.

2. Jornada do cliente On-life - Estamos conectados o tempo todo, em casa, no trabalho, no trajeto, no restaurante...e com isso é possível impactar os clientes com conteúdo relevante o tempo todo. Temos uma grande oportunidade de mostrar a autoridade e o quanto a empresa pode solucionar uma dor quase que 24 horas por dia.

3. Quem é o público ideal? Descobrir sua persona/cliente ideal usando ferramentas para descobrir o interesse desse público. Quais são os seus desejos e necessidades? O que ele pensa e sente? O que ele vê? O que ele escuta? O que ele fala e faz? Quais são as dores? Quais são os objetivos?

4. Jornada de Compra – Topo de funil: aprendizado e reconhecimento do problema, são os suspects (todo mundo dentro do seu mercado) e prospects (quem tomou alguma ação). Meio de funil: consideração das ações possíveis, são os prospects e leads (pessoa certa e a ação se encaixa). Fundo de funil: decisão de compra, são os leads, as oportunidades (a necessidade coincidi, pessoa pronta) e o cliente.

5. Psicologia Humana e a regra dos 3 Hs para criação do conteúdo - Gravitamos em torno daquilo que: *nos dá maior controle e aumenta nosso capital social; *aumenta nossa conexão; *aprofunda nossa experiência e *nos economiza tempo.

  • Criar conteúdo do tipo Help – público buscador que deseja conteúdo que apresente uma solução e economize tempo. Querem conteúdo informativo, educativo e relevante para resolver algum objetivo pessoal. Vai ao encontro das necessidades do target (modelo de busca mental).
  • Criar conteúdo do tipo Hub – público que já conhece a marca, são os assinantes e um conteúdo atrativo para este grupo é aquele que aumenta a conexão e aprofunda a experiência.  Querem conteúdo periódico, novidades relevantes para aprofundar a experiência e gerar identificação. Reforça a mensagem e posicionamento da marca.
  • Criar o conteúdo do tipo Hero – são os clientes e para satisfazê-los é importante entregar conteúdo inspirador, exclusivo e engajador, para aumentar o capital social e gerar novos estímulos na jornada. Impacta e aumenta o awareness de marca.

6. Publicação para Redes Sociais - organizar o calendário e incluir as postagens estrategicamente analisando: quais são os canais, qual o conteúdo adequado, em que etapa está determinado público dentro da jornada, sua distribuição é incluída em: informação + entretenimento, inspiração, educação ou convencimento e quantos posts fazer para alcançar uma frequência adequada.

Hashtag é considerada uma estratégia para expandir o alcance do conteúdo, tornar a marca conhecida, posicionar o negócio, contribuir para o search engine optmization e, principalmente, fazer o que escreve sobre a empresa ser encontrado facilmente. Usar pelo menos uma hashtag nas publicações de cada uma das categorias a seguir: produto, momento, contexto, ação e posicionamento.

Social Media Optimization é otimizar as buscas nas redes sociais com um conjunto de técnicas para tornar o conteúdo publicado nas mídias sociais facilmente espalhado e encontrado, aumentando a visibilidade.

7. Alcance e Engajamento – planejar as ações e entender as reações do público nos canais abaixo:

  • Mídia paga - propaganda no Facebook Ads, Instagram Ads, Google Ads, You Tube Ads, rádio, TV, revista, OOH.
  • Mídia ganha - parcerias com co-branding e link buiding; relações públicas com o compartilhamento nas redes e imprensa e social com as mídias sociais, user generated contente, reviews.
  • Mídia própria – propriedades como o site, blog, app, bot, e-commerce e embaixadas exemplo Facebook e Instagram.
  • Mídia paga e ganha - Influenciadores digitais.
  • Mídia paga e própria - programas de incentivo e e-mail marketing.
  • Processo de interações nas Redes Sociais (comentários, mensagens diretas e banco de respostas) e protocolos de SAC Social apresenta um termômetro de como está a comunicação, o engajamento e o relacionamento com o público revelando para onde deve seguir.

8. Monitoramento e Análise – medir, acompanhar e indicar qual ação teve melhor performance. Com as métricas pode acompanhar e otimizar o dia a dia da mídia e entender o nível mais sensível da campanha para poder alterar caso necessário e com os KPIs o principal é reportar os resultados e mostrar os pontos chaves do desempenho e para qual métrica olhar.

9. Gestão de crise – muito importante analisar sempre o índice de saudabilidade da marca, sendo o ponto principal para identificar uma crise.

Boas práticas de gestão de crises:

  • Treine sua equipe de mídias sociais.
  • Não lance uma campanha numa sexta-feira ou véspera de feriado.
  • Monitore as mídias sociais inclusive aos finais de semana.
  • Construa relacionamentos e crie uma base de embaixadores.
  • Não surte, ache oportunidades através da crise

Para concluir, ter uma estratégia de mídia social faz parte da conexão de confiança da marca. Cada um desses passos ajuda no direcionamento de ações assertivas para aproximar e criar conexão com o cliente. A marca fala, mas também ouve, pergunta e responde. Humaniza e personaliza a conversa, entendendo profundamente o que o cliente necessita e em qual etapa da jornada se encontra para oferecer a solução nos seguintes pontos:

EMPRESA/MARCA: Produto - Preço - Praça – Promoção.

CONEXÃO: Reputação e experiência.

EXPECTATIVAS/CONSUMIDORES: Crenças e valores - Associações - Necessidades emocionais.

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você