[ editar artigo]

ARQUÉTIPOS: A importância de fazer sentido.

ARQUÉTIPOS: A importância de fazer sentido.

Quando você consome algo de uma marca e se identifica com ela, saiba que não é por acaso. A sensação que aquela marca nos traz, a sensação de segurança, acolhimento, radicalismo, elite, poder aquisitivo, social, grupal ou qualquer que seja seu sentimento quanto àquela marca não é NADA por acaso. Tudo isso tem um porquê e uma estratégia por trás. O grande responsável pela parte inicial do seu negócio e que dá sentido a ele quanto ao seu público é chamado: Arquétipo.   


 

Os arquétipos nada mais são do que cores e personalidades que transmitem um sentimento através de seus significados. Cada cor tem um objetivo a ser passado para quem você quer atingir, por isso os produtos atraem e prendem a nossa atenção por que corporificam um arquétipo. Todas as grandes marcas possuem um sentido, valor e personalidade que são coerentes com seu produto, essência e sensação. As marcas têm se tornado altamente valiosas não só devido aos seus benefícios, mas aos seus sentidos poderosos de nos encantar e conectar também. 

 

O sistema psíquico do ser humano está altamente ligado aos símbolos e cores, e é por isso que conseguimos alcançar relevâncias e diferenciações através da nossa marca com ajuda dos arquétipos. Através dele, conseguimos falar com a matriz mais profunda de nossos consumidores, gerando um reconhecimento -instantâneo- e sentido ao nosso produto ou marca. É importante sermos lembrados rapidamente pelo nosso consumidor e gerar conexão com o mesmo, além do mais, o marketing (principalmente no meio digital) nada mais é do que relacionamento, especialmente nos dias de hoje. A conexão é o que mais importa para gerarmos um sentimento ao nosso público e lembrança. Podemos reparar que desde o tempo da Roma e Grécia antiga já possuíamos o arquétipo presente no dia-a-dia, mostrados através dos deuses e deusas gregas. Portanto, quando você entende o poder arquetípico potencial do seu produto, o seu marketing se torna mais simples, gratificante e digno de respeito. Voltando aos tempos atuais, uma das maiores marcas que possuem esse poder, podemos citar a Coca-Cola. Percebemos que, mesmo antiga e tendo passado por mudanças em seu logotipo, a sua mensagem, personalidade, linhas e cores não modificaram, de forma com que o intuito principal da marca continue a ser passado ao seu consumidor. A sensação de estar em família, acolhimento, de tradição e ser especial sempre foi bem definida e sucedida ao transmitir essa mensagem a nós, consumidores. Não é à toa que, ao lembrar de natal, a Coca-Cola sempre está inclusa na nossa memória! No livro “O Herói e o Fora-da-Lei”, diz: “Mitólogos e antropólogos vêem os mesmos temas, situações e histórias sendo representados sempre e sempre, ao longo do tempo e em todo  globo. Eles defendem que os vários mitos e arquétipos são basicamente expressões  do drama íntimo do ser humano e podem ser entendidos como diferentes expressões do impulso eterno para encontrar um significado humano no mistério da criação.”



 

Por isso, antes de tudo, devemos evidenciar o que queremos ser e transmitir. Seja motivação, estabilidade, controle, pertença, prazer, risco, maestria, sabedoria, independência, satisfação, acolhimento, tradicionalismo, entre outros. O arquétipo, nada mais é, do que sua identidade com o poder de formar seus consumidores em fãs de marca, simplesmente por se identificarem e se conectarem com o seu produto. E, isso tudo, trabalhando o interno de cada um, ou seja, o inconsciente emocional. 



 

Ler conteúdo completo
Indicados para você